A Hegemonia do Capitalismo e a Queda do Socialismo

Estados Unidos e URSS: os “colonizadores” do mundo

Por Vitor Amaral

Pense em um país poderoso, com grande influência no mundo e o qual muitos o temem. Provavelmente você pensou nos Estados Unidos, mas nem sempre foi assim. O mundo já foi divido em 2 vertentes poderosas: o Capitalismo, liderado pelos EUA, e o Socialismo, liderado pela antiga União Soviética. Quem é jovem pode não saber o que foi a URSS, mas quem vivenciou a segunda metade do século XX sabe que ela já foi uma força que se equiparava aos EUA e era temida por todos no mundo capitalista (socialista também na realidade). Mas o que veio a tornar os EUA o que são hoje e a queda de uma força tão grandiosa como a da URSS? Os dois fatos se relacionam, pois os EUA só se consagrou como líder da ordem mundial por causa da queda de seu único opositor, a URSS.

A queda da URSS foi devido a diversas crises que o governo enfrentava, chegando ao ponto de não suportar mais e culminando na sua fragmentação.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial o mundo se dividiu em um sistema bipolar, um lado sob influência do capitalismo com os EUA e o outro sob influência do socialismo com a URSS. Se iniciava então as disputas ideológicas, em que cada um buscava ao máximo ampliar sua rede de influência. A URSS se utilizou em grande parte de meios na base da “força” para conseguir “adeptos” ao seu clube, como por exemplo o leste europeu.

Os embates entre essas duas potências teve seu ápice no final do século XX durante a chamada “Guerra Fria”, na qual as duas nações realizaram investimentos maciços na indústria bélica, mas não havendo um confronto direto, apenas ameaças ou por meio de outros países, como é o caso da Guerra do Vietnã, em que cada lado era chefiado por uma potência.

As disputas entre os dois polos colocava o mundo em apreenção, qualquer ataque dos dois países poderia por o mundo em risco de uma Terceira Guerra Mundial. Porém com o passar do tempo a URSS não conseguiu mais aguentar a crise que sua população vivia e acabou cedendo. Um dos símbolos do início da queda do socialismo foi a queda do Muro de Berlim, um ato que representou a quebra das estruturas socialistas. Terminava assim uma potência militar que se equiparava aos EUA, firmando sua hegemonia no mundo.

Atualmente o sistema capitalista domina o mundo inteiro, com exceções como Cuba e China. Apesar de ainda haver países socialistas, a economia desses países se vê forçada a ter que ceder aos modelos capitalistas, como é o caso da China, um país com política comunista, mas que tem uma economia praticamente capitalista, adotando meios de produção para atingir o máximo, tanto que é hoje uma das potências econômicas emergentes no mundo.

A hegemonia dos EUA veio perdendo um pouco sua força devido as crises que vem enfrentando, mas ainda é a maior potência e é o país mais “popular” do mundo. Os países em desenvolvimento os vêem como um deus e quem os enfrenta luta apenas pela resistência. Com o fim da URSS os investimentos bélicos dos EUA diminuiram bastante, porém as tensões em países menores vieram à tona, tendo um novo “inimigo” a frente.

Por quê o socialismo não funcionou?

Por Mateus Souza

Bem, para iniciar e narrar o conflito, primeiro precisamos mostrar as duas partes do mesmo, com suas idéias, teorias e o que foi colocado em prática. Vamos começar mostrando as idéias e no que insistia o Socialismo e veremos que o que foi idealizado foi completamente diferente do que foi colocado em prática.

O socialismo é um sistema político-econômico que surgiu no século XIX com o objetivo de confrontar o liberalismo e o capitalismo. Tinha sido desenvolvida principalmente por causa da exploração do trabalhador por parte das grandes empresas, pois o mesmo dependia de salários baixos para a sobrevivência além de ter que trabalhar horas e mais horas. Com isso, surge a idéia do socialismo que propõe o fim da propriedade privada, com absoluto controle do Estado e dando maior poder e mais condições ao ploletariado, como menos tempo de trabalho e salários igualitários. Este que acabamos de citar, foi o socialismo utópico, o que foi sonhado pelos filósofos tais como Karl Marx e François-Marie-Charles Fourier. No entanto, na prática as coisas não ocorreram como o planejado pelos filósofos. A primeira tentativa de colocar o socialismo em prática, foi feita por Lênin, filósofo socialista russo, que após a sua chegada no poder imprimiu aquilo que ficou conhecido como “A ditadura do proletariado”.

Foi a partir da Revolução Russa (1917), quando Lênin impôs o socialismo, que ficou marcada a diferença entre socialismo e comunismo. Nas escrituras dos filósofos idealizadores do sistema político e social, alguns deles colocavam o socialismo como a mesma coisa do comunismo, mas após a imposição da política por Lênin foi mostrado a diferença entre socialismo e comunismo. O comunismo seria o socialismo implantado de uma maneira mais sutil, era uma primeira fase do socialismo que buscava melhor adaptação já que se vivia em um mundo completamente capitalista e a adaptação precisava ser feita de uma forma lenta. O socialismo foi o que foi implantado por Lênin e por todos os outros países do mundo, por isso, o socialismo saiu vencido da disputa com o capitalismo.

Pois bem, depois de implantado na Rússia de Lênin, o socialismo só começou a se expandir depois que Stállin assume o comando no país russo, pois Lênin acreditava que seria mais útil consolidar o socialismo antes e depois espalhar para o mundo. Já Stállin começou a expandir o socialismo e suas idéias para os outros Estados políticos. Com o tempo, o socialismo foi ganhando força e suas idéias e confrontando o capitalismo. Mas, o socialismo com o tempo foi tornando-se cada vez mais ditatorial e diferente do idealizado, é o que chamam de socialismo real. O socialismo real foi a política implantada, que parecia mais uma ditadura com pobreza do que com o idealizado pelos filósofos. O que foi idealizado não se sustentou e o que se viu na maioria dos países foi uma ditadura, sustentada pela pobreza e falta de liberdade. As pessoas não conseguiam ter alimentos na mesa e para obtê-los precisavam enfrentar enormes filas, era uma situação precária.

Após alguns anos, o socialismo não agüentou e o capitalismo reinou quase que exclusivamente até os dias de hoje, sendo o principal sistema político. O socialismo foi uma furada, enquanto prática. Na teoria, até parece ser bom, agora o difícil é conseguir colocá-lo em prática.

Um sistema dominante

Por Fernando Henrique

Bom, o capitalismo é pela ideologia, um sistema social e econômico de mercado, em que atingir o lucro é o principal objetivo, nem que para isso tenha que morrer alguém.

Daí você se pergunta: pra quê saber disso? Para quê isso vai servir para a minha vida? Mas você tem que saber como “funciona” o mundo hoje em dia, pois o planeta é capitalista.

Daí você se pergunta novamente: ser capitalista é bom ou ruim? Eu explico! Na minha humilde opinião, o sistema capitalista é bom para as empresas que se desenvolvem, pois a economia de mercado favorece a livre concorrência, o que provoca um desenvolvimento e investimento maior e mais rápido.

Mas o que você deve saber é que esse desenvolvimento nas empresas em um país não atinge todo mundo. A maioria da população (pobres), não ganham nada, enquanto a minoria da população, que é a burguesia, ficam com tudo ou quase tudo. Ou seja, no sistema capitalista, não se defende a razão de que todo mundo mereça usufruir do lucro, mas sim, a obtenção do capital para as empresas a todo o custo, mesmo que para isso precise matar alguém, como já expliquei anteriormente. Isso nos faz refletir sobre como o mundo é desigual, pois quando uns ganham tudo, outros perdem tudo. Quem tem dinheiro é quem consegue sobreviver aqui; bom, mas quem não tem, só resta paciência.

Outro fato que não posso deixar de mencionar, é que o sistema capitalista fez surgir a sociedade de consumo, ou seja, fez com que a sociedade adotasse o ato de consumir incontrolavelmente, fazendo dessa um povo alienado pelas “tentações” que aparecem em todo canto do mundo, e isso fez surgir uma nova tendência capitalista: o individualismo. Bom, o individualismo é, nada mais nada menos, do que um “sistema” em que todos os produtos, coisas; enfim, qualquer coisa seja individual (ah vá! É mermo?). Com isso os pronomes possessivos “meu” e “minha” passaram a ser intensamente utilizados no dia a dia, enquanto pronomes como “nosso” e “nossa” passaram a ser escutados uma vez ou outra, mas não escutados todo dia e nem por todo mundo. Entretanto, desses problemas surge um à nível maior: o imperialismo.

O imperialismo acontece quando empresas de um país mais desenvolvido exerce influência em países subdesenvolvidos. Daí você pode até se pensar “ ué, grande coisa”, mas isso vai muito além do conceito. O fato é que, o imperialismo é exercido com toda força em um país influenciável (subdesenvolvido), não que seja uma coisa forçada , o que estou tentando dizer é que o poder de influência é tanto que os habitantes ( que são procurados pelas empresas que procuram exercer influência, como compradores de seus produtos), deixam sua própria cultura de lado, para praticar a cultura capitalista.

Um exemplo de um meio imperialista é a mídia, que divulga e dita o que é da moda, as músicas que você tem que escutar; isso acaba lhe influenciando, mesmo que você não queira, pois quem não gosta de algum artista estrangeiro de sucesso hoje em dia? Existir alguém que não goste é muito difícil.

Portanto, na minha opinião, o sistema capitalista é ruim, porque nesse mundo, quem trabalha é quem paga tudo para os satisfazerem os desejos dos ricos, exatamente, enquanto os ricos tem privilégios, o pobre que sofre pagando o que não pode pagar para sustentá-los. Outra coisa é a influência exercida, em que, por exemplo: todo mundo tem que ser magro, seguir a modinha que “tá pegando”, e isso aliena uma sociedade já alienada.


Referências:

pt.wikipedia.org/wiki/Capitalismo

http://www.suapesquisa.com/capitalismo/

orbita.starmedia.com/achouhp/…/capitali.htm

http://www.renascebrasil.com.br/a_socialismo2.htm

http://educacao.uol.com.br/historia/ult1690u11.jhtm

http://www.mundoeducacao.com.br/geografia/o-socialismo.htm

http://www.brasilescola.com/historiag/socialismo.htm

http://www.espacoacademico.com.br/012/12rattner.htm

http://5dias.net/2009/10/28/a-queda-do-socialismo-real/

http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-br&tab=wi (Google Images)

Hegemonia e Imperialismo: Caracterizações da Ordem Mundial Capitalista após a Segunda Guerra Mundial, Ana Saggioro Garcia

3 comentários sobre “A Hegemonia do Capitalismo e a Queda do Socialismo

  1. LILCIMARA BIEBER disse:

    teremos entao de pensar bem para criar um novo sisitema politico pois vejo que nenhum ater agora nao presta.. so DEUS para nus salvar dessa………..

  2. Diego Ribeiro Guimarães disse:

    Olha, acabei de ler esse texto sobre o capitalismo e estou até emocionado, sabe quando você encontra o que você quer e o melhor, mais ainda, você encontra algo que supre as suas necessidades? Foi o que aconteceu comigo…
    Parabéns para os donos do site pela atitude e grande iniciativa, na luta contra o capitalismo!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s